sexta-feira, 17 de abril de 2015

Esquadra 501 efectua largada táctico-operacional no Mali

A Força Nacional Destacada (FND) no Mali fez uma missão que consistiu na largada de Container Delievery System (CDS) com comida e água para tropas europeias no terreno.

Esta foi a segunda largada em ambiente táctico-operacional da história da Esquadra 501 - "Bisontes" e da aeronave C-130. A primeira aconteceu em 2014, também no Mali. (FAP)

Paquistão testa míssil balístico com capacidade nuclear

O Paquistão testou esta quarta-feira um míssil balístico com capacidade para transportar uma ogiva nuclear, informaram as Forças Armadas paquistanesas.

O míssil balístico Ghauri tem um alcance de 1.300 quilómetros e pode ser armado tanto com ogivas convencionais como nucleares.

Há um mês, o Paquistão testou um míssil terra-terra com capacidade nuclear Shaheen III, com um alcance de 2.750 quilómetros.

“O ensaio de lançamento do míssil Ghauri teve o objectivo de testar a prontidão operacional e técnica”, segundo um comunicado das Forças Armadas.

O Paquistão e a Índia, que travaram três guerras desde a independência do Reino Unido em 1947, realizam rotinamente ensaios nucleares desde que adquiriram capacidade militar, em 1998.

A tensão entre os dois países aumentou depois de, na sexta-feira, a justiça paquistanesa ter libertado sob caução o autor dos atentados de Bombaim de 2008, Zaki-ur-Rehman. (Observador)

18 de ABRIL - DIA INTERNACIONAL DOS MONUMENTOS E SÍTIOS (Marinha)

Assim, ao longo do país e com acesso livre, poderemos encontrar as seguintes iniciativas:


Instituto Hidrográfico (IH)
- Exposição de pintura barroca do artista André Gonçalves, no Convento das Trinas do Mocambo. 

Comissão Cultural de Marinha
- Estão abertas as portas do Aquário Vasco da Gama, da Fragata D. Fernando II e Glória, do Museu de Marinha e do Planetário Calouste Gulbenkian.

Faróis
Das 14h00 às 17h00, podem ser visitados os seguintes faróis: 
- Continente: Montemor, Leça, Aveiro, Cabo Mondego, Penedo da Saudade, Cabo Carvoeiro, Cabo da Roca, Cabo Espichel, Cabo Sardão, Cabo São Vicente, Alfanzina, Santa Maria e Vila Real de Santo António;
- Açores: Ferraria, Arnel, Gonçalo Velho, Contendas, Ponta da Barca, Ponta da Ilha, Ponta do Topo e Albarnaz; 
- Madeira: Ponta do Pargo. (MGP)

Exercício ZARCO 151 realiza-se entre os dias 20 e 24 de abril

O exercício ZARCO 151, da responsabilidade do Chefe do Estado-Maior-General das Forças Armadas, realiza-se de 20 a 24 de Abril e será subordinado ao tema: “Participação das Forças Armadas em Acções de Protecção Civil na Região Autónoma da Madeira”.

O exercício, que será conduzido pelo Comando Operacional da Madeira, em coordenação com o Serviço Regional de Protecção Civil tem como finalidade executar acções no âmbito do planeamento, coordenação, execução e controlo da participação das Forças Armadas em apoio de acções de protecção civil, face a uma situação de intempérie e de acidente químico grave, bem como, testar as tarefas e os procedimentos a adoptar pelos Comandos e Unidades militares intervenientes. 

Dos objectivos previstos para o exercício Zarco 151 salientam-se o treino do planeamento e execução de uma operação militar em apoio da estrutura regional de Protecção Civil; O treino da condução de uma operação onde o Comandante Operacional da Madeira coordena as forças e os meios atribuídos para acções de Protecção Civil; O treino da projecção (aérea e marítima) e intervenção do Elemento de Defesa Biológico, Químico e Radiológico do Exército, da Unidade de Intervenção em Riscos Tecnológicos do SRPC, da Equipa de Resgate em Montanha do Regimento de Guarnição n.º 3 e ainda o levantamento de um sistema de comunicações que garanta ao Comando Operacional da Madeira a coordenação e acompanhamento do emprego de forças e de meios e a ligação ao SRPC. (JM)

21 de Abril - Dia do Livro do Instituto da Defesa Nacional

Decorre no dia 21 de Abril de 2015, entre as 10h00 e as 17h00, o dia do livro do Instituto da Defesa Nacional.

O acervo editorial do IDN, nomeadamente a colecção “Atena” e a revista “Nação e Defesa”, estarão à venda a um preço promocional válido apenas para este dia.

Preçário promocional da Colecção “Atena”.

Todos os números desde que disponíveis a 5 euros cada (excepto nº 30 a 10 euros e nº31 e nº32, respectivamente a 20 euros e 15 euros).

Preço promocional da Revista “Nação e Defesa”.

Todos os números desde que disponíveis e o nº139 a 1 euro cada (excepto nº134, nº135 e nº136 a 2 euros cada e nº137 e nº138 a 5 euros cada).

Para compras superiores a 50 euros, oferta de um exemplar da publicação “Nunca de Antes” ou de um exemplar do “Dicionário de Termos e Citações de Interesse Político e Estratégico” ou de um exemplar “Opiniões Públicas durante as Guerras de África”. Para compras superiores a 100 euros oferta de um exemplar das três obras em cima referidas e de um exemplar do IDN Cadernos 14 e 15.

Estes preços aplicam-se igualmente a encomendas feitas pela internet entre o dia de lançamento da notícia na webpage do IDN e o final do dia 21 de Abril através de email enviado para publicações@defesa.pt, adicionando-se neste caso os custos associados aos portes de envio pelo correio, os quais serão suportados pelo comprador.

As compras efectuadas no IDN terão de ser em numerário por inexistência pagamento de multibanco.(IDN)

Portugal vai ter 600 homens em força da NATO

O Conselho Superior de Defesa Nacional (CSDN) reúne-se na próxima quinta-feira para oficializar o envio de quatro caças F16 para a Roménia e de 600 militares do Exército para a nova força de reacção rápida da NATO.

Segundo adiantaram à agência Lusa fontes do sector da Defesa, a data inicial do CSDN era 14 de Abril, mas a reunião terá sido adiada para 23, depois de o envio de caças para a Roménia ter sido anunciado pelo Ministério da Defesa antes da sua aprovação formal por todos os órgãos de soberania.

A 4 de Março, o Ministério da Defesa confirmou à Lusa o envio para a Lituânia de 140 militares do Exército e para a Roménia de quatro aviões F-16 para participarem em missões de policiamento aéreo da NATO e reforço da sua presença no leste europeu.

Na noite anterior, a 3 de Março, as Forças Armadas romenas tinham anunciado a participação dos caças portugueses na missão da NATO naquele país.

Nesta reunião do CSDN deve ainda ser discutida e aprovada a participação de um batalhão de 600 militares do Exército na nova força de elevada prontidão da NATO (`Very High Readiness Joint Task Force`, em inglês) para responder às acções da Rússia na Ucrânia, que envolve cerca de 5000 mil homens.


No Palácio de Belém, deverá estar também em cima da mesa uma discussão sobre o Trident Juncture 2015, um exercício que vai decorrer em Portugal, Espanha e Itália, entre 3 de Outubro e 6 de Novembro.

O CSDN é o órgão consultivo do Presidente da República para os temas da Defesa, reúne periodicamente, e inclui os titulares das pastas da Defesa, dos Negócios Estrangeiros, da Administração Interna, das Finanças, da Indústria e Energia e dos Transportes e Comunicações.

É composto ainda pelos quatro chefes militares das Forças Armadas, os representantes da República para as Regiões Autónomas dos Açores e da Madeira, os presidentes dos Governos Regionais dos Açores e da Madeira, o presidente da Comissão Parlamentar de Defesa e outros dois deputados da Assembleia da República. (RR)

quinta-feira, 16 de abril de 2015

Governo aprova 16 milhões para modernizar caças F-16

O Conselho de Ministros aprovou hoje uma despesa de 16 milhões de euros até 2018 para a sustentação logística do sistema de armas dos caças F-16, da Força Aérea Portuguesa.

“O Conselho de Ministros autorizou a realização da despesa inerente à aquisição de bens e serviços relativos à sustentação logística do sistema de armas das aeronaves F-16. O fornecimento desses bens e serviços, bem como os respectivos pagamentos, repartem-se pelos anos de 2015 a 2018, totalizando 16 milhões de euros”, pode ler-se no comunicado.

Portugal tem actualmente 27 caças F-16, depois de no ano passado ter acertado a venda de 12 aeronaves ao Estado romeno. (Observador)

Portugal marca presença na LAAD Defence & Security 2015

O ministro da Defesa Nacional esteve presente na cerimónia oficial de abertura da LAAD Defence & Security 2015 – Feira Internacional de Defesa e Segurança.

José Pedro Aguiar-Branco visitou vários espaços da feira incluindo o da ABIMDE (congénere brasileira da idD) e o da idD - Plataforma das Indústrias de Defesa Nacionais - tendo ainda almoçado, neste último, com vários empresários portugueses.

O ministro da Defesa Nacional esteve ainda presente na cerimónia de assinatura do protocolo de colaboração entre a idD e a ABIMDE, que visa estreitar ligações entre estas duas estruturas.

Portugal marca assim presença naquele que é considerado o maior evento de exposição de defesa da América Latina através da idD – em representação de 14 empresas nacionais.

No espaço de exposição português, ocorreram diversas reuniões de apresentação das empresas nacionais a delegações oficiais, nomeadamente das delegações de Defesa de Moçambique, do Zimbabwe, da República Checa, da Mauritânia, da Colômbia, de São Tomé e Príncipe, da Rússia e de França.

A LAAD reúne fabricantes e fornecedores de tecnologias, equipamentos e serviços para várias entidades nomeadamente Marinha, Exército, Força Aérea, Forças Policiais, Forças Especiais, gestores de segurança de grandes corporações, concessionárias de serviços e infraestrutura crítica. (Defesa)

Ministro da Defesa questiona chefias militares sobre “alienação de material”

O ministro da Defesa assinou esta semana o despacho que oficializa o arranque oficial do processo negocial para a aquisição do navio polivalente logístico francês Siroco.

No despacho, José Pedro Aguiar-Branco mandata a Direcção-Geral de Defesa Nacional para levar a cabo a negociação, e o Estado-Maior General das Forças Armadas a apresentar um estudo sobre os custos de operação e manutenção do navio no Sistema de Forças.

Mas o documento revela também que o modelo de financiamento do negócio não está ainda fechado para o ministro. Aguiar-Branco solicitou que a Direcção-Geral, juntamente com o Estado-Maior General e a Marinha apresentem uma “proposta eventual de aquisição com base nas condições negociadas, contemplando possíveis fontes de financiamento”.

Pelo teor do despacho, o ministro dá a entender quais são as possibilidades em cima da mesa. Aguiar-Branco lembra que “cabe aos chefes do Estado-Maior dos Ramos” - além de apresentar “as necessidades específicas e as possibilidades de contribuição para a acção conjunta das Forças Armadas” – a tarefa de “elaborar propostas de alienação de material considerado excedentário ou cuja sustentação seja inviável no sentido dos recursos financeiros serem dirigidos para a manutenção das capacidades prioritárias”.

Esta referência dá a entender que o ministro não dá como certo que a não modernização de duas das cinco fragatas da Marinha seja suficiente para concretizar o negócio e assegurar os custos de manutenção. Ao longo das últimas semanas, o ministério da Defesa admitia, como solução para o financiamento da aquisição, a desistência da modernização de duas fragatas.


Uma solução apresentada pela Marinha, uma vez que o ministro definiu, desde que se colocou a possibilidade da compra, que esta não teria acesso verbas extraordinárias para financiar a aquisição. O que implicaria a desistência de programas de equipamento já previstos na Lei de Programação Militar que está a ser revista na Assembleia da República. A verba referida como necessária para a compra do navio Siroco situa-se nos 80 milhões de euros.

No entanto, o despacho de Aguiar-Branco vem agora ordenar ao Estado-Maior General e à Marinha que apresentem até 5 de Maio um “estudo sobre o impacto da integração” do navio na Marinha, identificando a “despesa de pessoal, operação e manutenção e investimento”. Além do custo de aquisição inicial, a compra do Siroco acarreta outras despesas para Portugal. É que a proposta francesa inclui apenas o navio em si e três lanchas de desembarque. De fora ficam os sistemas de armas do navio, nomeadamente mísseis e canhões.

O mandato da Direcção-Geral dá a entender isso mesmo. Além de negociar o “preço final de aquisição e o plano de pagamento”, esta terá também de negociar “o armamento, os equipamentos e os lotes de sobressalentes”. (Público)

FRAGATA BARTOLOMEU DIAS PARTICIPA EM EXERCÍCIO SAHARAN EXPRESS 2015

A fragata Bartolomeu Dias atracou no porto da cidade da Praia, Cabo Verde, a 16 de Abril de 2015, para participar no exercício internacional SAHARAN EXPRESS 2015, que vai decorrer entre 19 e 26 de Abril na costa ocidental africana, ao largo deste arquipélago.

Este exercício, sob a égide do Comando Norte-Americano para África (AFRICOM), visa o reforço da capacidade dos parceiros africanos no combate às ameaças marítimas, bem como a promoção da cooperação destes parceiros Africanos com os Estados Unidos e a Europa.

O evento tem como finalidade o adestramento das forças militares das nações participantes no âmbito do conhecimento situacional marítimo e em técnicas, tácticas e procedimentos necessários à intercepção e abordagem de navios suspeitos em alto mar, com vista ao combate a actos ilícitos marítimos, como o narcotráfico, o tráfico de armas, pessoas e bens, a pirataria, a pesca ilegal entre outros.

A fragata Bartolomeu Dias actuará conjuntamente com a aeronave P3C Orion, da Força Aérea Portuguesa e com meios navais e aéreos de Cabo Verde, Senegal e Espanha.

A fragata Bartolomeu Dias é comandada pelo Capitão-de-fragata Paulo Cavaleiro Ângelo e tem embarcados 172 militares, estando embarcados alguns militares convidados de outras nacionalidades. O navio largou de Lisboa no passado dia 2 de Março e participou até ao momento no exercício internacional OBANGAME EXPRESS 2015, no Golfo da Guiné e em diversas actividades no âmbito da cooperação técnico-militar com Angola e São Tomé e Príncipe. (emgfa)

quarta-feira, 15 de abril de 2015

EXTINÇÃO DA MANUTENÇÃO MILITAR E CRIAÇÃO DA «MM, EPE»

Segundo o Sindicato dos Trabalhadores Civis das Forças Armadas, Estabelecimentos Fabris e Empresas de Defesa (STEFFAs), a divulgação, no final da semana passada, das Ordens de Serviço n.º 16 e 17 (datadas de 08/04 e 09/04, respectivamente) junto dos trabalhadores da Manutenção Militar (MM) está a causar grande consternação e ansiedade neste Estabelecimento Fabril do Exército com mais de cem anos e que atravessa agora um processo de extinção desencadeado pelo actual Governo.

A Manutenção Militar assegura o fornecimento de víveres, géneros alimentícios e alimentação confeccionada a todo o Exército Português, além da gestão de todas as Messes deste Ramo das Forças Armadas. A extinção da instituição foi determinada pelo Decreto-Lei n.º 11/2015, de 26 de Janeiro.

Segundo o STEFFAs, “os referidos normativos internos vêm confirmar os piores receios dos trabalhadores, com a previsão de uma redução brutal da implantação territorial e a extinção de mais de 120 postos de trabalho nesta instituição. São totalmente encerradas as sucursais/delegações da Manutenção Militar no Porto, Coimbra, Évora, Açores e Madeira e é reduzido drasticamente o pessoal na sucursal do Entroncamento – que é, na surreal organização esboçada para a nova empresa, o único ponto de abastecimento, para todo o Exército Português, além da sede da MM, em Lisboa!”

Com o encerramento da Sucursal do Porto, que laborava desde 1937, vão ser extintos 27 postos de trabalho. Os trabalhadores estão em inactividade desde 31/03/2015. Em Coimbra, onde a Manutenção Militar operava ininterruptamente desde 1899, são extintos 11 postos de trabalho. Os encerramentos das delegações da MM na Zona Militar dos Açores e no Funchal representam mais 8 postos de trabalho destruídos.

A sucursal de Évora, implantada naquela cidade alentejana desde 1942, foi a primeira a ser encerrada, em 31/09/2014, acabando com os 14 postos de trabalho correspondentes. Os trabalhadores foram integrados no mapa de pessoal da Messe Militar de Évora, mapa que, na previsão da nova empresa, sofre uma redução drástica (superior a 40%), sendo eliminados 22 dos 55 postos de trabalho.

Ainda mais brutal, segundo o comunicado, “é a redução prevista para a sucursal do Entroncamento (que passa a ser designada por «Centro de Operações do Entroncamento»). A intenção é abater, nada mais, nada menos, do que 33 postos de trabalho dos actuais 53, o que representa uma redução de mais de 60% naquele que, ainda há dois meses, era considerado pelos responsáveis da Manutenção Militar e do Exército, como um local «com um papel importantíssimo a desempenhar na nova empresa, até pela sua localização central no país». Resta agora saber como vão os apenas 20 trabalhadores previstos no novo mapa de pessoal do «Centro de Operações do Entroncamento» assegurar esse importantíssimo papel… “

A sede da Manutenção Militar (em Lisboa, na Rua do Grilo), também não escapa aos cortes de pessoal, já que está prevista uma redução de cerca de 20% na Direcção de Operações, com a dispensa de 21 trabalhadores. (Entrocamento)

ACADEMIA MILITAR NA FEIRA QUALIFICA 2015

A Academia Militar (AM), através de uma delegação de alunos, esteve presente na feira “QUALIFICA - Feira de Educação, Formação, Juventude e Emprego”, evento realizado na EXPONOR, em Leça da Palmeira.

A participação contou com o apoio do Centro de Recrutamento do Porto, entidade responsável pela coordenação das diferentes actividades, tendo estado representadas algumas das capacidades e meios do Exército.

Ao longo de dois dias, a Feira constitui-se como uma oportunidade única para divulgar os cursos destinados à formação dos Oficiais dos Quadros Permanentes do Exército e da Guarda Nacional Republicana, dando a conhecer a Missão da AM.

Numa altura em que se aproxima a abertura do Concurso de Admissão ao Ano Lectivo 2015/2016, agradecemos a todos quantos nos visitaram. (Exército)

Brigada de Intervenção do Exército Português treina em Mangualde

Até e 22 de Abril, a Brigada de Intervenção do Exército Português vai levar a cabo um exercício de treino denominado “MARTE15/SATURNO15” que passará por Mangualde. A preparação, treino e certificação dos efectivos do 2º Batalhão de Infantaria Mecanizado de Rodas e do Destacamento de Apoio Logístico Nacional decorre entre as regiões de Viseu, Mangualde, Arganil e Santa Comba Dão.

A iniciativa comporta a fase final da preparação nacional, destinando-se a validar o treino das Unidades e a atestar a capacidade operacional para o desempenho das missões que lhes possam vir a ser atribuídas. Está prevista a participação de cerca de 800 militares e 160 viaturas, das quais 58 serão as mais recentes e tecnologicamente evoluídas que equipam esta importante força.

DESTACAMENTO DE APOIO LOGÍSTICO NACIONAL PASSA A TER SEDE EM MANGUALDE

Com a colaboração da Câmara Municipal de Mangualde, o quartel da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Mangualde passa a acolher a sede do Destacamento de Apoio Logístico Nacional (National Support Element - NSE).

É de referir que a 1 de Janeiro de 2015, a Brigada de Intervenção deu início ao aprontamento do 2º Batalhão de Infantaria Mecanizado de Rodas, sediado no Regimento de Infantaria 14, em Viseu, a fim de ser integrado no Comando da Componente Terrestre da Força de Resposta da Organização do Tratado do Atlântico Norte - NATO Response Force de 2016, no âmbito do contributo de Portugal para a Aliança Atlântica. Em simultâneo, iniciou-se no Regimento de Infantaria 19, em Chaves, o aprontamento do Destacamento de Apoio Logístico Nacional responsável por garantir o apoio de serviços ao Batalhão, quando projectado para fora do território nacional. (Mangualde On Line)

Drones portugueses invadem o Brasil

Foi à última hora que a OceanScan integrou a comitiva de empresas portuguesas presentes na brasileira LAAD (Feira Internacional de Defesa e Segurança). Apesar disso, é vista pelo responsável português que gere a promoção da indústria de Defesa nacional como uma das que tem maior potencial de sair do Brasil a facturar.

Ao mesmo tempo, a Tekever prepara-se para assumir uma participação na única empresa brasileira certificada como estratégica na área dos drones. Junto com as restantes 13 empresas que seguiram com José Pedro Aguiar-Branco para o Brasil representam a esperança de “70 potenciais negócios”, essenciais para atingir o objectivo definido para este ano de aumentar em 100 milhões de euros as exportações portuguesas no sector.

Tanto a OceanScan como a Tekever já trabalham há alguns anos com as Forças Armadas Portuguesas. Os seus equipamentos de sucesso servem essencialmente para levar a cabo missões de vigilância e rastreio, mas em meios diferentes. A primeira resulta de anos de cooperação entre especialistas da Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto com a Marinha. Daí resultou uma start-up que se especializou em pequenos veículos submarinos vocacionados para fazer mapeamento e rastreio marítimo.

É Eduardo Filipe, presidente do Conselho de Administração da idD, quem destaca o potencial desta empresa na feira que agora se realiza, assinalando a “grande procura” que existe por este tipo de equipamento. No caso da OceanScan, além dos sistemas já disponibilizados à Marinha portuguesa, foram já vendidas três sistemas à Marinha da Lituânia (para detecção de minas) dois sistemas à Rússia (para operarem em missões de busca e salvamento) outros dois à Universidade de Zagreb (Croácia) e outros tantos a uma universidade chinesa.

Os drones submarinos que a OceanScan produz já têm, portanto, nome na Europa e a aposta é que, agora, os seus LAUV (Light Autonomous Underwater Vehicle – Veículo Submarino Autónomo Leve) passem a operar nos mares do Atlântico Sul.

Mas Eduardo Filipe antecipa outra oportunidade de negócio comdrones, desta vez no ar. A Tekever – que vendeu dois drones à Polícia de Segurança Pública e tem estabelecido protocolos de cooperação e cedência dos seus sistemas ao Exército, Marinha e GNR – prepara-se para adquirir uma participação na SANTOSLAB. A empresa Brasiliera que fornece à Marinha brasileira os seus drones de vigilância.

Já há mais de um ano que existia uma ligação entre as duas empresas. Desde há ano e meio que o Carcará da SANTOS LAB é equipado com material da Tekever. Segundo Ricardo Mendes, responsável da empresa portuguesa, o interior da aeronave era quase exclusivamente português (sistema de comunicação e de controlo em terra, por exemplo). Com o passar do tempo, ambas as empresas chegaram à conclusão de que “faria sentido trabalharem juntas”. E assim se avançou para a assinatura de um acordo para a aquisição de uma participação na empresa brasileira. O objectivo é tornar a Tekever num “accionista de grande significado” na SANTOS LAB. Ricardo Mendes escusou-se a quantificar – tanto em termos da percentagem da participação como em termos de verbas investidas - o que representa essa expressão, argumentando com as rígidas regras de sigilo que o Estado brasileiro impõe no sector.

O Brasil coloca sob reserva todos os números que estejam relacionados com as entidades que certificou como empresa estratégica brasileira. É precisamente por isso que a Tekever está interessada na SANTOS LAB. “É a única fabricante de drones que pode trabalhar no Brasil no sector de Defesa”, garante Ricardo Mendes. O sigilo militar impede mesmo que se revele quantos Carcará opera a Marinha brasileira e a Polícia Federal.

Sector vale 1,7 mil milhões em exportações

Criada há menos de um ano, a idD (Plataforma das Industrias de Defesas Nacionais) tem como objectivos a identificação de negócios no exterior e a internacionalização das empresas portuguesas de Defesa. Para isso, em meio ano, levou um conjunto dessas empresas a quatro feiras internacionais – Colômbia, Índia, Abu Dhabi e Madrid – como a que esta semana se realiza no Brasil.

Eduardo Filipe, presidente do Conselho de Administração, estabeleceu para 2015 a meta de fazer crescer em 100 milhões de euros as exportações portuguesas no sector. De acordo com o mesmo responsável, as exportações das 120 empresas que compõem o sector representaram “1,72 mil milhões de euros” no ano passado.

Eduardo Filipe identificou quatro áreas com maior potencial de crescimento. Além da indústria naval (onde se inclui a OceanScan) e dos UAV (onde estão os drones da Tekever), o CEO da idD sinalizou também os têxteis, as tecnologias da informação e os sistemas de detecção e socorro a náufragos como as áreas que mais podem contribuir para os “potenciais 70 negócios” que as empresas portuguesas podem trazer da América do Sul.

NRP Espadarte o primeiro submersível português

No dia 15 de Abril de 1913, era entregue à Marinha o primeiro submersível português, de seu nome NRP Espadarte. (MGP)

Este submarino foi encomendado em 1907, durante o reinado de D. Carlos I. Tendo sido construído nos Estaleiros La Spezia em Itália, entrando ao serviço no dia 15 de Abril de 1913, o que tornou a Marinha Portuguesa numa das primeiras do mundo a ser equipada com este tipo de plataforma de armas. O seu primeiro comandante foi o primeiro-tenente Joaquim de Almeida Henriques.

Juntamente os submarinos da classe Foca, de características semelhantes mas mais aperfeiçoados, adquiridos em 1917, o Espadarte formou a 1ª esquadrilha de submarinos da Marinha Portuguesa. Esta esquadrilha serviu durante a 1ª Guerra Mundial sendo desactivada com a entrada ao serviço de novos submarinos em 1934, apesar do Espadarte ter sido desarmado ainda antes, em 1928. (Wikipedia)

Três navios de guerra russos no Canal da Mancha, Marinha Britânica está a acompanhar

Três navios de guerra russos, incluindo um contratorpedeiro, entraram no Canal da Mancha e estão a ser seguidos pela Marinha Britânica, informou o Ministério da Defesa (MoD) do Reino Unido.

"O MoD pode confirmar três navios monitorizados pelo HMS Argyll da Royal Navy através do Canal. Não foram observados exercícios", informou o Ministério na sua conta no Twitter.

"O contratorpedeiro Severomorsk, da classe Udaloy, regressa do Mediterrâneo com um navio-tanque e um navio de apoio. Devem sair do Canal mais tarde", acrescentou.

O Ministério da Defesa russo informou que os navios estão em rota para o Atlântico Norte, onde vão participar em exercícios "de defesa antiaérea e antissubmarina".

O Canal da Mancha é frequente e legitimamente usado por navios de guerra da Rússia, mas uma série de incidentes nos últimos meses envolvendo meios militares russos suscitou o receio nos países da NATO de tentativas de desestabilização por parte da Rússia.

O Severomorsk estava entre quatro navios que passaram pelo Canal da Mancha em Novembro, quando as autoridades francesas negaram informações russas de que os navios participavam em exercícios.

Um navio de guerra russo também foi detectado no Canal da Mancha em Fevereiro e, em Janeiro, o Reino Unido chamou o embaixador depois de bombardeiros Tupolev Tu-95 se terem aproximado do espaço aéreo britânico. Diário Digital com Lusa

Centro de Formação Militar e Técnica da Força Aérea celebra 75 anos

O Centro de Formação Militar e Técnica da Força Aérea (CFMTFA), celebrou no dia 14 de Abril de 2014 o seu 75º aniversário.

As comemorações do aniversário do CFMTFA foram assinaladas com uma missa e com a cerimónia militar do Dia da Unidade, que foi presidida pelo Chefe do Estado-Maior da Força Aérea - General José António de Magalhães Araújo Pinheiro - e que contou com a presença das altas patentes militares e de entidades civis da região.

A Cerimónia Militar foi marcada pela rendição dos Porta-Estandartes Nacional e da Unidade, pela cerimónia de homenagem aos mortos e pela imposição de condecorações, terminando com o desfile das forças em parada. Por fim, inaugurou-se ainda a Exposição Temática alusiva ao 75.º Aniversário da Unidade.

Inaugurada em 14 de Abril de 1940 junto à povoação de Ota, razão pela qual ainda é conhecida por “Base Aérea da Ota”, a BA2, designada desde 1992 Centro de Formação Militar e Técnica da Força Aérea (CFMTFA), celebra este ano 75 anos de actividade, que se traduzirão numa série de iniciativas, com destaque para a “Base Aberta” nos dias 18 e 19 de Abril.

O CFMTFA tem por missão ministrar a formação militar, humanística, socio-cultural, técnica, tecnológica e científica do pessoal da Força Aérea, cujo âmbito não seja coberto pelos outros órgãos da Força Aérea, sendo também a “porta de entrada” para a maioria dos voluntários que escolhem prestar serviço nas fileiras da Força Aérea Portuguesa. No ano de 2014 registou a passagem de um total de 884 alunos, que frequentaram cerca de 45 cursos, somando mais de 52.500 horas de formação. (FAP)

terça-feira, 14 de abril de 2015

Inglaterra intercepta bombardeiros russos perto do espaço aéreo britânico

A Inglaterra destacou caças Typhoon para interceptar dois bombardeiros de longo alcance russos localizados perto do espaço aéreo britânico, disse nesta terça-feira o Ministério da Defesa.

Em Janeiro, o governo britânico convocou o embaixador russo para explicar um episódio similar, quando bombardeiros russos sobrevoaram o Canal da Mancha, o que forçou o desvio de rota de aviões civis.

"Os aviões russos estão sendo escoltados pela Força Aérea Real  na área de interesse do Reino Unido", disse um porta-voz do Ministério da Defesa.

Não foi divulgado o local da interceptação desta terça-feira, que ocorre apenas três semanas antes de uma eleição apertada em que as políticas de defesa têm sido uma questão importante.

Os Typhoons foram accionados pela RAF de Lossiemouth, na Escócia. (Reuters)

Putin quer continuar a fornecer mísseis ao Irão

O Presidente russo, Vladimir Putin, assinou esta segunda-feira um decreto que anula a proibição feita à Rússia de fornecer mísseis terra-ar S-300 russos ao Irão, de acordo com um comunicado do Kremlin.

O antigo chefe de Estado russo Dmitri Medvedev tinha proibido, em 2010, o fornecimento de mísseis S-300 ao Irão - depois de um contrato muito criticado pelos países ocidentais e Israel -, em aplicação da resolução 1929 da ONU que sancionava Teerão pelo programa nuclear.

A presidência russa não adiantou nada sobre a venda ou a possibilidade imediata de entregar mísseis S-300, mas, em teoria, o decreto presidencial permite fornecimentos por via marítima, terrestre e aérea.

Em 2007, a Rússia e o Irão assinaram um acordo para o fornecimento de equipamentos capazes de interceptar em voo aviões ou mísseis, no montante de 800 milhões de dólares. Depois da proibição de entregar os S-300, Teerão recorreu ao Tribunal Internacional de Arbitragem em Genebra, na Suíça, para exigir a Moscovo quatro mil milhões de dólares de indemnização. (CM)

Maires de Richebourg e de La Couture condecorados pelo Governo português

A Secretária de Estado Adjunta e da Defesa Nacional impôs, este sábado, as Medalhas da Defesa Nacional - 1.ª Classe aos Maires de La Couture e de Richebourg (Pas-de-Calais, França). A condecoração foi atribuída a Raymond Gaquère e a Gérard Delahaye em reconhecimento pela disponibilidade e apoios concedidos para a realização anual das cerimónias evocativas da Batalha de La Lys.

Antes, Berta Cabral presidiu às cerimónias evocativas do 97.º Aniversário da Batalha de La Lys, no Cemitério Militar Português de Richebourg e junto ao Monumento aos Combatentes erigido pela Liga dos Combatentes no centro da localidade.

“Esta evocação, além de um ato de justiça é, igualmente, um ato patriótico, olhando para a História com a mesma ambição que levou os soldados a combaterem nestes campos até à morte: projectar um futuro de progresso económico, social, cultural e ecológico”, afirmou a Secretária de Estado, resumindo: “Numa palavra, a nossa ambição é o progresso da Humanidade.”

As cerimónias contaram com a presença do Sub-Prefeito de Béthune, Nicolas Honoré, do Cônsul-Geral de Portugal em Paris, Pedro Lourtie, do Representante Militar de Portugal junto da Nato e da União Europeia, Tenente-General Carvalho Cordeiro, do Presidente da Liga dos Combatentes, Tenente-General Chito Rodrigues, dos Maires de La Couture e de Richebourg, de deputados, conselheiros e representantes da comunidade portuguesa e, como habitualmente, de delegações de antigos combatentes. (Defesa)

FORÇA MILITAR PORTUGUESA NA LITUÂNIA VISITADA POR EMBAIXADORES NACIONAIS

A Força Nacional Destacada em missão na Lituânia, a Recce Coy/FND/AM2015, recebeu, no dia 13 de Abril de 2015, a visita do Embaixador de Portugal na Dinamarca, Embaixador Rui Macieira e do Embaixador de Portugal na Suécia, Embaixador Marcelo Curto.

As entidades foram recebidas pelo Comandante da Brigada de Infantaria Mecanizada IRON WOLF do Exército Lituano, Coronel Raimundas Vaiksnoras e pelo Comandante da FND, Major de Cavalaria Pedro Cabral que deram as boas vindas às instalações militares de Rukla.

Após os cumprimentos oficiais, a comitiva visitou várias actividades operacionais que a Recce Coy está a desenvolver, assistiu a uma exposição de viaturas tácticas e terminou com uma visita às instalações militares. Após o almoço de confraternização, o Embaixador Rui Macieira proferiu uma breve alocução aos militares portugueses, congratulando-os pela importância estratégica da missão que estão a cumprir.

No final da visita, o Comandante da Força convidou os distintos visitantes a assinarem o Livro de Honra da Recce Coy, e procedeu-se à troca de lembranças que assinalaram este momento histórico da Força Nacional Destacada na Lituânia. (emgfa)

Ministro da Defesa "despacha-se" para comprar Siroco à França

A compra do navio Siroco a França é um dos temas da reunião entre o ministro da Defesa português e o vice-ministro francês da Defesa, esta terça-feira, 14 de Abril, no Rio de Janeiro. Trata-se da primeira vez que os dois Governos abordam a questão após a formalização do interesse de Portugal no Siroco, num despacho já assinado por Aguiar-Branco a que o Negócios teve acesso.

"Após ter sido reconhecido em comissão parlamentar de Defesa a prioridade deste equipamento", o ministro da Defesa, José Pedro Aguiar-Branco, assinou um despacho, na passada quinta-feira, a publicar em breve no Diário da República, que marca o arranque das "negociações formais com o Estado francês tendo em vista a definição e condições de aquisição" do navio polivalente logístico Siroco.

"A DGRDN [Direcção-Geral de Recursos de Defesa Nacional], em articulação com o EMGFA [Estado-Maior General das Forças Armadas] e a Marinha, inicia negociações formais com o Ministério da Defesa francês no sentido de definir as condições de uma eventual aquisição do Siroco, designadamente o preço final de aquisição e o inerente plano de pagamento", lê-se no despacho a que o Negócios teve acesso.

"O despacho estabelece o "road map" das negociações, pelo que esperamos que sejam concluídas com êxito", afirmou Aguiar-Branco aos jornalistas portugueses, no Rio de Janeiro, onde irá hoje encontrar-se com o vice-ministro da Defesa francês e visitar a delegação de 14 empresas portuguesas que participam na Feira Internacional de Defesa e Segurança, que arranca hoje na cidade carioca, numa acção promovida IDD - Plataforma das Indústrias de Defesa Nacionais.

Sobre o valor de referência de venda do Siroco avançado pelos franceses, da ordem dos 80 milhões de euros, o ministro da Defesa deixou o campo aberto às negociações agora iniciadas: "pode ser superior, inferior ou igual." Porque "vai ter que se verificar se este navio se enquadra nos objectivos e requisitos que a Marinha entende que são relevantes e se o preço adequado para isto é o que está indicado", explicou Aguiar-Branco.

Havendo 50 milhões de euros da Lei da Programação Militar (LPM) para a eventual compra do Siroco, de onde virão os outros 30 milhões? "Através da transferência de verbas que estão alocadas a outros programa, assim como de outras situações, como a transição de saldos, há outro tipo de fontes de financiamento que podem ser encontradas no âmbito do Ministério da Defesa Nacional", frisou o ministro da Defesa.

No mesmo despacho, Aguiar-Branco avança que o EMGFA, em articulação com a Marinha, tem que lhe apresentar, até 5 de Maio, um estudo sobre o impacto da integração de um navio com as características do Siroco na Marinha, "em termos de agregados de despesas de pessoal, operação, manutenção e investimento, considerando as orientações definidas politicamente a serem alcançadas progressivamente até 2020".

A DGRDN deverá posteriormente apresentar ao ministro "proposta de eventual aquisição com base nas condições negociadas, contemplando identificação de possíveis fontes de financiamento". Compra do Siroco - se sim, quando? "Julgo que a França já referiu que queria uma resposta até Setembro", relatou Aguiar-Branco.

O Siroco entrou ao serviço da Marinha francesa em Dezembro de 1998, "pelo que se encontra a meio da sua vida útil, prevendo-se estar disponível para entrega, pronto para navegar e operar, no início do segundo semestre de 2015".(Negócios)

segunda-feira, 13 de abril de 2015

Indústrias portuguesas de defesa à conquista do Brasil

O ministro da Defesa parte esta segunda-feira para o Brasil com 14 empresários da área, com vista a novos negócios. Aguiar-Branco quer mostrar o potencial das indústrias de defesa portuguesas e aumentar as exportações.

O destino é a Feira Internacional de Segurança e Defesa, mas da agenda também faz parte um encontro com o ministro brasileiro da Defesa.

É a diplomacia económica a funcionar numa nova área de actividade do Ministério da Defesa Nacional, aproveitando a recém-criada plataforma das indústrias portuguesas de defesa.

Naquela feira, Portugal vai ter de tudo, desde botas militares, a drones e software sofisticado. A ideia é explorar ao máximo as oportunidades de negócios e o ministro da Defesa abrir caminho aos empresários portugueses, para que cheguem a quem decide.

A economia de Defesa representa 1,72 mil milhões de euros por ano. São empresas portuguesas que na Colômbia, na Índia e agora no Brasil querem aumentar as exportações. (RR)

Força Aérea "voa" para 28 mil pessoas na Qualifica

Mais de 28 mil pessoas visitaram a Qualifica – Feira de Educação, Formação, Juventude e Emprego, que teve lugar na Exponor – Matosinhos e contou com a presença da Força Aérea Portuguesa.

Entre os dias 09 e 12 de Abril, os visitantes tiveram oportunidade de assistir a uma exposição de meios operacionais, com o avião Alpha-Jet, o helicóptero Alouette III e a viatura de inactivação de engenhos explosivos EOD, e de contactar com militares de várias especialidades.

Além de ficarem a conhecer melhor a missão da Força Aérea, jovens de várias idades descobriram as possibilidades de formação na instituição e tiraram as suas dúvidas junto de uma equipa do Centro de Recrutamento. Os mais aventureiros conseguiram voar num simulador e experimentar a conhecida cadeira de Barany (que simula a desorientação espacial).

A visitar o espaço da Força Aérea na Feira estiveram também altas entidades, tal como o Secretário de Estado do Emprego, Octávio Oliveira, e o Secretário de Estado do Desporto e Juventude, Emídio Guerreiro. (fap)

FRAGATA BARTOLOMEU DIAS REALIZA EXERCÍCIO NO GOLFO DA GUINÉ

A fragata Bartolomeu Dias realizou, no dia 12 de Abril, um exercício naval de oportunidade com o navio patrulha oceânico Vencedora, da Armada Espanhola, no Golfo da Guiné a sul da Costa do Marfim.

O exercício permitiu adestrar a interoperabilidade entre as duas unidades navais e enquadrou-se num cenário de ameaça real à segurança marítima, actualmente bem presente nesta área e que tem vindo a ser alvo de parcerias e colaboração entre forças militares de países Aliados e de países africanos para melhoraria da segurança.

O evento permitiu treinar os procedimentos na área das comunicações militares e a troca e disseminação do panorama situacional marítimo através de sistemas LINK, tendo sido executadas várias manobras navais com o objectivo de ensaiar operações de reabastecimento em alto mar, de forma a prolongar a sustentação logística dos meios navais.

A fragata Bartolomeu Dias, que participou recentemente numa iniciativa de cooperação técnico-militar em Angola, designada de MAR ABERTO, encontra-se a navegar neste momento com destino à República de Cabo Verde, onde atracará na cidade da Praia no próximo dia 16 de Abril.

No período de 20 a 27 de Abril, o navio português participará no exercício SAHARAN EXPRESS 2015, cujo objectivo é o fortalecimento de parcerias marítimas globais através de actividades de formação e de colaboração para a melhoraria da segurança marítima na costa ocidental africana.

A fragata Bartolomeu Dias é comandada pelo Capitão-de-fragata Paulo Cavaleiro Ângelo e tem embarcados 172 militares portugueses. (Emgfa)

Exército “invade” Santa Comba Dão

Integrados no exercício militar designado de “MARTE/SATURNO15”, cerca de 800 militares e 160 viaturas vão estar acantonados em Santa Comba Dão, de 13 a 22 de Abril, em quatro pontos da cidade, nomeadamente no Estádio Municipal, nas freguesias de Treixedo e de São Joaninho, e na povoação da Cancela.

De 13 a 22 de Abril vão ser desenvolvidos diversos exercícios militares em vários pontos do concelho de Santa Comba Dão, no âmbito da preparação, treino e certificação dos efectivos do 2º Batalhão de Infantaria Mecanizado de Rodas, a fim de ser integrado no Comando da Componente Terrestre da Força de Resposta do Tratado do Atlântico Norte – NATO.

Também integradas nas actividades a desenvolver, os militares irão proceder à limpeza e abertura de alguns caminhos florestais, no concelho, e à pintura do Mercado Municipal.

De 17 a 21 de Abril, na Casa da Cultura, vai estar patente uma exposição estática composta por “Museu Militar” e “Viatura Blindada PANDUR”.

A cerimónia de encerramento do exercício “MARTE/SATURNO15”, com o Desfile Militar de 800 homens e 160 viaturas, das quais 58 são as mais recentes e tecnologicamente evoluídas Viaturas Blindadas de Rodas PANDUR II 8×8, terá lugar no dia 21 de Abril, às 15h00, na Avenida Humberto Delgado. (NC)

domingo, 12 de abril de 2015

Ministério da Defesa Nacional | Comunicado 12 de Abril

COMUNICADO

Na sequência das notícias publicadas, hoje, relativas ao regime de passagem à reforma dos militares, dos quadros permanentes das Forças Armadas, o Ministério da Defesa Nacional informa:

- O governo não introduziu qualquer norma excepcional no regime de transição para a reforma consagrada pelo novo Estatuto dos Militares das Forças Armadas (EMFAR) relativamente ao regime actualmente aplicável aos militares;

- Pelo contrário, desde 1993 tem-se verificado uma efectiva convergência entre o regime de pensões aplicável aos militares das Forças Armadas e os regimes de pensões da função pública e da segurança social;

- Neste âmbito, o novo EMFAR garante os 60 anos como a idade mínima para a passagem à reforma, situação que não era ainda aplicável a todos os militares, que em determinadas circunstâncias, podiam transitar para a reforma antes desta idade;

- Adicionalmente, o novo EMFAR aumenta a idade para a passagem obrigatória à reforma dos 65 para os 66 anos de idade, o que permitirá prolongar as carreiras dos militares, designadamente dos militares na reserva na efectividade de serviço.


O Gabinete do Ministro da Defesa Nacional Lisboa, 12 de Abril de 2015

sábado, 11 de abril de 2015

Marines dos EUA e fuzileiros em exercício conjunto em Alcochete

Créditos Fotográficos : MGP

Créditos Fotográficos : MGP

Créditos Fotográficos: MGP
Numa herdade, perto de Alcochete, cerca de 180 fuzileiros portugueses e '"marines" norte-americanos realizaram esta sexta-feira uma missão de treino de combate ao terrorismo em África mandatada pelas Nações Unidas

AM1 comemora 50.º aniversário

O Aeródromo de Manobra Nº1 (AM1), em Maceda – Ovar, comemorou o 50º Aniversário. A data foi assinalada no dia 10 de Abril, com uma cerimónia militar presidida pelo Chefe do Estado-Maior da Força Aérea, General José Pinheiro, na qual foi inaugurado um monumento alusivo ao cinquentenário do Unidade.

O AM1, actualmente sob o Comando do Coronel Jorge Pimenta, tem desempenhado importantes missões ao longo dos anos, seja no apoio a eventos e exercícios, seja no apoio a missões de interesse público. Lembre-se que a Unidade acolhe um destacamento permanente da Esquadra 552 – “Zangões”, com o Alouette III, destinado à Busca e Salvamento.

Da mesma forma, tem servido de base a meios aéreos para operações de combate a incêndios florestais e apoiado,sempre que necessário, as missões com vista ao transporte de equipas médicas para recolha urgente de órgãos na zona Norte.

É também no AM1 que está instalado um Pólo do Museu do Ar. (FAP)

BRIGADA MECANIZADA FESTEJA O SEU 37º ANIVERSÁRIO

O dia festivo da Brigada Mecanizada é comemorado a 06 de Abril, em evocação da Batalha de Atoleiros, travada em 1384, na qual, D. Nuno Álvares Pereira, à frente de uma pequena hoste, derrotou uma força oponente numericamente superior.

Todavia, este ano, o ponto alto das comemorações do Dia da BrigMec teve lugar em 9 de Abril, numa cerimónia militar presidida por S.Exª o General Chefe de Estado-Maior do Exército (CEME), General Carlos António Corbal Hernandez Jerónimo e que contou com a presença de vários autarcas das Edilidades locais, representantes das Autoridades Militares, Policiais e Eclesiásticas, e ainda com o Comandante da Brigada de Infantaria Mecanizada “Extremadura” XI, do Exército de Espanha.

As unidades da Brigada Mecanizada que constituíram a Parada Militar realizada na pista de aviação de Santa Margarida, ascenderam aos 930 militares e 60 viaturas de diversos tipos.


A encerrar a cerimónia, seguiu-se um almoço convívio no renovado pavilhão gimnodesportivo, onde aqueles que se associaram aos militares da Brigada, tiveram o ensejo de exprimir o sentimento e a emoção de ver que a Força Decisiva do Exército não soçobra perante as vicissitudes e que o seu legado tem continuidade no valor do Soldado da Brigada Mecanizada pelo modo extraordinário como continua a "levar a carta a Garcia" e FEITOS FARÃO TÃO DIGNOS DE MEMORIA".(Exército)